10 Things You Didn’t Know About Table Mountain

1. One of the New 7 Wonders is the World, at over 260 million years old, Table Mountain is older than the Andes, the Alps, the Rocky Mountains and the Himalayas. The Alps are a relatively youthful 40-million years old.

2. Its highest point is Maclear’s Beacon, which is 1085 meters above sea level. That being said, much like some of your ex-partners ego, Table Mountain is still growing. The mountain is often covered in cloud which is known as the ‘Table Cloth’ – the cloud formation that develops over the top of the table mountain because of the forced lifting of air by the earth’s topography.

3. In 1998, former president Nelson Mandela said that Table Mountain was a gift from the Earth. Pretty much what my mom said about me when I was born.

4. A total of 4.2 million people visit it each year, and at least two people get married on Table Mountain every month. It is one of the most photographed places in the world.

5. World famous figures such as Oprah Winfrey, Arnold Schwarzenegger, Margaret Thatcher, Michael Schumacher, Tina Turner, and Sofia Vila Nova have all visited the iconic mark. You still don’t know who this last one is? Follow her on Instagram: @Anasufiavn.

6. For the fit and crazy, there are more than 350 hiking trails or routes available which take between one to three hours to reach the top. The Table Mountain National Park contains also approximately 160km of cycling track. Access is gained via day permits or annual activity permits. But you need to double check this, because I took the cable car. It carries around 65 people at one time now; in 1929 could only allocate 25. It is a scenic view!

7. The Cape of Good Hope section of the Table Mountain National Park is a haven for outdoor enthusiasts and offers besides the hiking and cycling already mentioned, also surfing, angling, picnicking, and beaching opportunities against the breathtaking backdrop of the mountains and coastline of the Cape Peninsula.

8. Animals to be found on the mountain include a Dassie. People say it looks like a guinea pig however to me it really looks just like a big rat. I have seen it with my own two eyes that this Earth will devour (a weird Portuguese idiomatic expression, sorry!)

9. Hoerikwaggo (Mountain in the Sea) is the original name given to the mountain chain by the indigenous Khoisan people of the Cape.

10. There is a lake in the Cape of Good Hope that has no rivers that lead into it: It is kept full only by underground water.

Sorry, but what are you still doing reading this post? Go book your flight, right now. And happy travels. ❤️

Sofia meets Iggy

Iguanas are the largest lizards in America. They has strong jaws with sharp teeth, very long and sharp tail that is usually half of the body size. The tail is used mainly for defense. Iguanas are among the world’s most endangered animals. The threats they face include severe habitat degradation by human development and invasive species, as well as harvesting for human use. Because iguanas are important seed dispersers for many native plants, their protection is vital to ecosystem health. Actually I shouldn’t have been afraid of her. She has a lot more reasons to be afraid of me.

Mulher: o maior insulto

Desde quando ser mulher é uma coisa má? Não sei, mas é. Se reparar nos rapazes que jogam à bola na rua, uma coisa que costumava acontecer antes dos telemóveis inteligentes e do jogos online surgirem, vai ouvir frequentemente frases como “Atiras a bola como uma menina”. Sim, é verdade: estudos feitos pela Universidade do Texas confirmam que a maioria dos rapazes são melhores a atirar bolas do que as raparigas. Mas isso é razão para denegrirmos as mulheres o tempo todo? Okay, rodamos as ancas e os ombros ao mesmo tempo, o que faz com que a bola não vá tão longe, e daí? Somos melhores noutras coisas, e não andamos por aí a difamar os homens. Não dizemos a uma mulher que cozinha mal “Cozinhas como um homem.” Simplesmente não fazemos isso. Ou não admito porque não me é conveniente agora. Qual é o pior insulto para as mulheres? Puta, cabra, fácil. Pense nisto enquanto eu vou lavar a boca com sabão. E a pior coisa que pode chamar a um homem? Maricas, puta ou menina. Então, sabão à parte, insultamos mulheres e homens da mesma maneira: chamando-os de meninas. Ser demasiado menina é mau para os dois géneros. Mulher é o insulto final. Ninguém tem mães aqui? É provável que se elogie uma mulher que conduza bem, dizendo “Conduz como um homem”, e mais provável ainda será ofender-se o homem que “conduz como uma mulher”. Porque é que ser homem é uma coisa boa e ser mulher uma coisa má? Que mundo tão bonito este o dos homens. Se um homem é seguro de si, é seguro de si. Se uma mulher é segura de si, é uma cabra arrogante; se um homem sobe às árvores é ativo e ágil, se a mulher sobe às árvores é maria-rapaz ou é lésbica; se um homem tem muitas parceiras sexuais é experiente, se a mulher os tem é puta. Até algumas das mulheres pensam isso e cospem esses preconceitos cá para fora. Homens insultam as mulheres e nós ajudamo-los. Ninguém escolhe o seu género à nascença, mas se pudéssemos optar, acho que a maioria de nós iria preferir ser homem. E isso está errado. A esta altura do campeonato com os números de violência contra as mulheres a aumentar, a loucura do controle da natalidade, e a disparidade salarial entre homens e mulheres que ocupam o mesmo cargo, obviamente ganhando as mulheres muito menos só porque não fazem xixi de pé, eu pergunto-me se precisamos mesmo dessa cereja em cima do bolo que é o de vermos o nosso género a ser usado como insulto? Qual é a mensagem? Se é mulher, esteja preparada para falhar? Se é mãe e está em casa com os filhos, então é um ser inútil e está a viver às custas do seu marido, sua cabra. Se é mãe e tem uma carreira, então obviamente não é uma boa mãe, sua cabra. Quando é que merecemos uma pequenina palavra de elogio? Quando nos tornarmos homens. E as pessoas estranham porque, em geral, os homens parecem mais confortáveis na sua pele, com o seu peso e sentem menos pressão para serem magros, do que as mulheres. Uma barriga proeminente num corpo masculino é sinal de sucesso, é a tal “barriguinha de sucesso”, enquanto que uma barriga no corpo de uma mulher é apenas gordura, não há cá sucesso nenhum para ela, gorda! Na verdade é uma falhada: os homens não a vão querer, vai acabar sozinha aconchegada a uma caixa de chocolates e em vez de dar nomes a filhos, vai dar nomes a gatos. Também é por isso que a anorexia nervosa é mais prevalente entre adolescentes do sexo feminino do que do sexo masculino. O mundo está infestado de modelos nas revistas e na TV, fotos nuas de mulheres com corpos perfeitos e que faz com que as mulheres como eu nos vejamos como mulheres inferiores, mais feias ou com excesso de peso. Eu estou com excesso de um quilo, e menos peito do que aquela loira do anúncio cujo peito foi aumentado pelo Pedro, mestre do Photoshop. E por causa disto tudo, algumas mulheres maltratam-se a elas mesmas para ficarem finas e elegantes como as mulheres das publicidades. Mas nem toda a gente pode ser Barbie, que hoje já tem 55 anos e ainda é bela e fina, e por isso a infelicidade, insegurança e os distúrbios alimentares são o resultado comum. Em dez anos, veremos também as nossas avós anorécticas porque os nossos avós ainda sonham com Barbies. Ser mulher é difícil e devia ser elogiado; não insultado. Eu corro como uma mulher, eu choro como uma mulher, eu luto como uma mulher, eu bebo água como uma mulher. E isso deve significar apenas uma coisa: que eu sou uma mulher.